" O futebol não é uma questão de vida ou morte. É muito mais do que isso...", Bill Shankly




terça-feira, 5 de junho de 2012

Tabelando com Pedro Spiacci, sobre Eurocopa


Pedro Spiacci - Fala, Lucas, como está? Ansioso para o maior torneio de seleções do ano?

Lucas Imbroinise - Grande Pedro! Tudo bem. Muito ansioso pra bola rolar na Polônia e Ucrânia.

PS - Minha ansiedade também é grande. Vamos fazer as análises grupo por grupo?

LI - Vamos lá. Como você analisa o grupo A, tido para muitos como o "grupo da vida", em alusão oposta aos complicados grupos "da morte"?

PS - O grupo A pode ser tido como a chave dos coadjuvantes, mas a briga promete ser bastante equilibrada. Acredito na República Tcheca um pouco atrás de Polônia, Rússia e Grécia. Os  donos da casa vêm embalados pelo trio do Borussia Dortmund. Os russos têm uma boa geração e contam com Dick Advocaat, técnico que comandou o Zenit na melhor fase do clube e é justamente o time de São Petersburgo que cedeu boa parte da base da seleção. Com ele, Arshavin também jogou muito, pode dar samba. Já a Grécia, àquele jogo de sempre, muita marcação, filosofia que não mudou com o português Fernando Santos no comando.

LI - Então, Pedro. Eu também aposto muito na empolgação dos donos da casa e no talento dos russos, que, por mais que não tenham uma geração tão boa quanto a de 2008, vêm com ótimo elenco. A Polônia é um time de força, de muita marcação no meio e contra-ataques rápidos. Tem uma zaga minimamente segura e um goleiro em boa fase num grande clube europeu, além do artilheiro Lewandowski inspirado. Discordo um pouco de você quanto aos tchecos. Para mim, eles ficam na frente da Grécia, como a terceira força do grupo. Acho quase impossível dos gregos surpreenderem positivamente. Posso queimar minha língua, mas sinceramente, vejo com chances quase nulas de sucesso para a Grécia.

PS - Vamos ao segundo grupo então. O grupo B tem duas das três principais favoritas. A Holanda vem mais uma vez muito forte e tem uma vantagem em relação ao elenco da Copa: Van Persie está em fase totalmente inversa a de 2009-10, hoje é um dos melhores do mundo. Ao seu lado, Sneijder, Robben e Huntelaar no setor ofensivo. A defesa pode preocupar, mas a forte dupla de volantes protege a retaguarda muito bem. Na Alemanha a expectativa é alta também, né, Lucas?

LI - Sem dúvidas, Pedro. Talvez seja, juntamente com Espanha e Holanda, uma das equipes mais consolidadas atualmente. Joachim Löw segue dando continuidade a seu ótimo trabalho, lançando jovens promessas e habilitando o país com um futebol vistoso, ofensivo e agressivo, no bom sentido. Quanto à Holanda, chamo a atenção para uma incógnita: Arjen Robben. Que Robben veremos nessa Euro? O meia-extremo do Bayern terminou a temporada de forma trágica, perdendo pênaltis decisivos e de mal com o próprio futebol. É, sem dúvidas, uma das armas mais importantes do 4-2-3-1 holandês. Menos mal para os "laranjas" que Afellay voltou comendo a bola de sua última contusão no joelho, e pode ser um bom substituto para Robben.

PS - E ainda tem Portugal de Nani e principalmente de Cristiano Ronaldo. Se o camisa sete for bem, não duvido que a “seleção das quinas” consiga algo grande nesta Euro, mas disputar uma das vagas no grupo B já será um grande desafio. Mesmo com um ótimo jovem como Eriksen – talvez, o melhor da Euro 2012 junto com Götze –, creio que a Dinarmaca não vá conseguir nada além de participar.

LI - Muita gente se enganou com a Dinamarca, no último amistoso diante do Brasil. A imagem passada, de uma equipe fraca, retroativa, monótona, não faz parte da realidade do time. Mas, por azar, os dinamarqueses caíram no "grupo da morte", e dificilmente conseguirão passar de fase. Já Portugal surge como, de fato, a terceira força do grupo. Depende muito de Cristiano Ronaldo e de sua irregular dupla de zaga. Para piorar, os volantes também não vêm bem. É um time que toma muitos gols. E contra Alemanha e Holanda, nunca é bom ter uma defesa "peneira".

PS - No grupo D também vejo equilíbrio com Espanha e Itália à frente das demais, não é? 

LI - Isso. A Espanha é a grande força do torneio, mas nos últimos amistosos não vem jogando o melhor que sabe. Ainda assim, com Xavi e Iniesta querendo jogo, e Juan Mata e David Silva minimamente participativos, será muito difícil segurar a Fúria. Mesmo sem o artilheiro David Villa. Afinal, além dele, os espanhois também podem confiar em Fernando Torres, Fernando Llorente, Pedro...

PS - Exato, são 19 campeões mundiais no elenco, mas algumas mudanças pontuais. Já a Itália é o inverso: buscou se renovar e vem com dez da Copa de 2010. Os escândalos de combinação de resultados tiraram Criscito da Euro e Bonucci e Buffon tiveram seus nomes citados. Sem dúvida, isto abala o elenco azzurro, que vai confiar no forte sistema defensivo, que só foi vazado duas vezes na fase classificatória. Os bons volantes ajudam na consistência defensiva italiana. No ataque, a confiança é depositada nos ótimos e imprevisíveis Cassano e Balotelli. Croácia de Modric também pode incomodar, Lucas?

LI - Pedro, para te falar a verdade, aposto até mais na Croácia e na Irlanda do que propriamente na Itália. A crise pela qual passa o futebol italiano só tende a piorar o desempenho da Azzurra, que já não é dos melhores nos últimos tempos. O peso da camisa, obviamente, pode reverter esse panorama, mas se tivesse que apostar a favor ou contra os italianos, optaria pela segunda opção.
A Croácia vive da mesma geração de 2008. Tem em Modric a figura de protagonista do time e em Eduardo da Silva de definidor das jogadas. Conta com uma defesa experiente, chefiada por Simunic, e um meio-campo talentoso, com Modric, Kranjcar e Rakitic. Após as decepções recentes em Copas do Mundo e a frustração por não ter chegado às semis na Euro de 2008, o time comandado por Slaven Bilic pode surpreender, apesar de ter caído num grupo bem complicado. Bilic, inclusive, é uma espécie de inspiração para seus comandados. Afinal, fez parte da melhor seleção croata de todos os tempos, em 1998, ao lado de Prosinecki, Kovac, Boban e o artilheiro da Copa do Mundo daquele ano, o monstruoso Davor Suker.

PS - A Irlanda de Trapattoni também é bem organizada no tradicional 4-4-2 e pode beliscar uma vaga. 
LI - Exato. Os irlandeses apostam muito nesse time. É o melhor desde o de 2002. E tem um técnico sério, que vem revolucionando o futebol no país, após décadas de adminsitrações conturbadas e treinadores derrotados. O time tem gente do nível de Richard Dunne, Damien Duff e Robbie Keane. Pode beliscar uma vaga, hein.

PS - E o grupo D, hein, não me lembro de uma Inglaterra tão fraca nos últimos anos, como esta da Euro, hein?
LI - Sim. Muito atrapalhada também pelos desfalques. São tantos...Ao menos se passar, terá Rooney na fase final. Menos mal, né? Ainda assim, um time muito costurado.

PS - Quem pode se beneficiar muito com isso é a Suécia do gênio Ibrahimovic, artilheiro da Serie A 2011-12, com 28 gols que, de quebra, cedeu seis assistências. Além de ter se destacado nas Eliminatórias: marcou cinco e cedeu três assistências. Mas a grande seleção da chave é a França de Blanc, com muita variação tática: 4-2-3-1, 4-1-4-1 e 4-3-3 são bem executados pelos bleus. Além de ter um dos melhores meio-campos da Euro 2012: M’Vila e Cabaye são volantes bem dinâmicos e o trio Ribéry, Nasri e Valbuena tem capacidade de criar jogadas e também de marcar seus gols. A defesa não é tão forte, mas o conjunto francês é muito. E olha que a equipe havia sido eliminada na primeira fase da Copa de 2010. 

LI - Apesar de me encantar no papel, não vejo, na prática, a França tão forte, Pedro. Gosto bastante do trabalho de Laurent Blanc, é como uma espécie de renascimento do futebol francês, mas acho que o ponto alto dessa seleção virá daqui a um tempo somente.

PS - E a outra anfitriã, Lucas?

LI - A Ucrânia, para mim, é uma incógnita. Tem um time pouco conhecido e uma zaga lenta. Na frente, ainda há vaga para o veterano Shevchenko, que se despedirá do futebol. Ele bem que merecia um adeus honroso, por tudo que fez com a bola nos pés... Porém, acho difícil.

PS - Então é isso, Lucas, competição vai ser muito interessante, com Espanha, Holanda e Alemanha largando na frente, mas com a França muito forte também. A Euro 2012 será demais. Vamos palpitar...

Palpites Pedro Spiacci
Campeã: Holanda
Artilheiro: Robin Van Persie
Craque: Wesley Sneijder

Palpites Lucas Imbroinise
Campeã - Alemanha
Artilheiro -  Robin Van Persie
Craque - M. Özil

PS - Valeu, Lucas, foi um prazer tabelar mais uma vez contigo!
LI - Digo o mesmo, Pedro. É sempre uma honra!
PS - Abração!
LI - Outro!

Um comentário:

  1. Olá!

    Podemos fazer uma troca de links entre blogues por favor?

    O meu é: http://davidjosepereira.blogspot.pt/

    Muito Obrigado!

    Depois passem pelo meu a confirmar a troca, para eu também adicionar o vosso blogue aos meus links.

    ResponderExcluir

Giro pelo mundo

Contato

lucas.imbroinise@terra.com.br

Twitter: @limbroinise

Co-blog: http://boleiragemtatica.wordpress.com