" O futebol não é uma questão de vida ou morte. É muito mais do que isso...", Bill Shankly




domingo, 6 de maio de 2012

O campeonato brilhante da dupla de Manchester e o favoritismo óbvio do City na rodada final


Scholes fez um a zero, de letra, e mal comemorou. Esperou Ashley Young correr par apegar a bola no fundo da rede e a levar de volta para o meio-campo. O Manchester United, mesmo já vencendo o modesto Swansea, em casa, corria contra o tempo. Pois precisava de uma goleada, já que o líder e arqui-rival Manchester City, ainda que com o mesmo número de pontos, tinha 10 gols a mais no saldo. No fim das contas, uma vitória simples por 2 a 0, que afastou ainda mais o maior campeão inglês do título desta temporada.

Contra o Queens Park Rangers, em Manchester, o quase imbatível em casa City precisa de uma simples vitória e que o United não ultrapasse o seu saldo de gols. Contra o Sunderland, fora de casa, os Red Devils precisam de uma goleada histórica para fazer, definitivamente, história. Um tropeço do City seria perfeito, mas também improvável. Apesar de um jogo tenso, a tendência é que o City passe fácil pelo QPR, que ainda briga contra o rebaixamento.

O provável título dos Citizens consagraria o melhor futebol do país. Independente dos tropeços e dos maus momentos, o time de Roberto Mancini foi o melhor da temporada. Regular, equilibrado, vencedor. O futebol ofensivo, vistoso, ofuscava os grandes problemas extra-campo.O elenco recheado de boas opções causa inveja aos rivais.

O City pode não ter tido um artilheiro brilhante como Van Persie foi para o Arsenal. Nem uma zaga tão sólida como o United tem há anos. Mas teve um time absurdamente competitivo e forte dentro de seus domínios, principalmente. E com o técnico certo. Roberto Mancini faz trabalho sensacional à frente do time milhonário. Montou sua base, escalou e mexeu bem no seu time. E colheu os frutos.

Não que o United não tenha merecido o caneco. O time de Alex Ferguson, pelo contrário, teve ótimos momentos na temporada e gozou de sua solidez histórica. Foi regular, como de costume, e se manteve no topo do início ao fim. Mas não teve o algo a mais suficiente para vencer o City. Em casa, na hora de crecer, tomou um 6 a 1 histórico do rival. Nem os tropeços da equipe de Mancini fizeram o United assumir e se consolidar na liderança da Premier League.

Ainda assim, resta uma ponta de esperança no lado vermelho de Manchester. O QPR luta contra o rebaixamento, e por que não pode aprontar diante do City? Os números intensificam ainda mais o favoritismo azul.  De uma forma ou de outra, é impossível não chamar a atenção e elogiar a dupla de Manchester. Os dois melhores times da Inglaterra, hoje, fizeram um campeonato espetacular, com direito a 19 pontos de diferença par ao terceiro colocado, o Arsenal. Algo para ficar na história. E ser esquecido pelo vice-campeão, tamanha será a tristeza.

2 comentários:

  1. Lucas,
    concordo com vc.
    O tricolor fez hoje talves sua melhor partida dos últimos 3 anos.

    Essa conta já foi fechada.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir

Giro pelo mundo

Contato

lucas.imbroinise@terra.com.br

Twitter: @limbroinise

Co-blog: http://boleiragemtatica.wordpress.com